Análise do sucesso de Stranger Things

Após deixar os nostálgicos felizes, a Netflix confirmou a segunda temporada de Stranger Things e o Ronaldo Gomes da RockCine fez uma análise da série que possui referências dos anos 80 e até fatos reais.

Stranger Things

Responda rápido: qual a série da TV por assinatura mais vista no país? Certo, Game of Thrones. Mas você sabe qual é a segunda?

cartaz Stranger Things

Muita gente assistiu, gostou, mas não sabe o tamanho do sucesso de “Stranger Things”, uma produção original da Netflix, lançada sem muito alarde, que virou fenômeno de audiência em todo lugar, principalmente no Brasil. Diante do inesperado impacto da série por aqui, o ator David Harbour, que interpreta o Xerife Jim Hopper, propôs que pelo menos uma cena da segunda temporada (já confirmada) fosse rodada em nosso país.

Jim Hopper

O mais espantoso é que “Stranger Things” não é uma superprodução, nem está recheada de sexo e violência, que é o que costuma atrair o grande público. Qual seria, então, o segredo do seu sucesso?

Entre os fãs é comum ouvir afirmações como “parece com as coisas que eu assistia e adorava, na infância”. E é isso mesmo. Esta não é uma série sobre os anos 80. Ela é uma série dos anos 80, só que feita no século 21.

Quando assistimos histórias “de época”, como se costuma chamar os enredos sobre o passado, vemos – o que é uma regra para o cinema de gênero – um tratamento absolutamente atual para tramas ambientadas no passado. É o que ocorre com “Capitão América: O Primeiro Vingador”, por exemplo. Passado quase todo durante a Segunda Guerra Mundial, tem roteiro, fotografia, trilha sonora e tudo o mais compatíveis com 2011. Com “Stranger Things” é diferente.

Série Stranger Things

Construção antiga

A série criada pelos irmãos Matt e Ross Duffer é concebida como um produto da época que retrata não só no tratamento visual. A história também tem aquela aura de ingenuidade dos velhos tempos – em que os limites de moralidade aceitos pelo público eram muito mais definidos – que não teria muito sentido numa trama atual.

Há muitas cenas que fazem referência, brincam, ou jogam com grandes sucessos dirigidos por Steven Spielberg, e diretores que trabalharam em filmes produzidos por ele, nessa época, como Tobe Hooper, Richard Donner, Joe Dante e Robert Zemeckis. Assim, dá até para criar um desafio caseiro para ver quem identifica mais menções a “E.T. – O Extraterrestre”, “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”, “Os Goonies” e “Poltergeist: O Fenômeno”, entre outros.

Referências de Stranger Things

Grande destaque da série é a mãe, magnificamente construída por Winona Ryder que, em meio ao desespero com o desaparecimento do filho, ficando mais louca a cada dia, alcança o equilíbrio se recusando a desistir da busca.

Verdade insana

O mais incrível é que a história foi baseada em fatos reais – ou quase! A trama desenvolvida pelos irmãos Duffer parte de uma “denúncia” feita por um cidadão que afirma ter sido usado quando criança, junto com seu irmão, numa série de experiências militares, durante a Guerra Fria. Os experimentos, segundo ele, visavam desenvolver técnicas de guerra psicológica e recursos estratégicos exóticos e chegaram a libertar um monstro de seu subconsciente.

Quem quiser ter uma ideia dessa fase mais insana do embate entre russos e americanos, pode assistir “Os homens que encaravam cabras”, filme com ótimo elenco, dirigido por Grant Heslov, em 2009, que retrata esse tipo de trabalho nas forças armadas dos EUA.

Os homens que encaravam cabras

Mas a preocupação dos Duffer não é com a veracidade dos fatos. Sua intenção foi produzir uma história que tenha a mesma capacidade de envolvimento que a dos filmes que os cativaram na infância. Uma série para nos lembrar como era o mundo da ficção antes que os heróis da Marvel e da DC saltassem para as telas e começassem a salvar o planeta em batalhas espetaculares. Um tempo em que o maior perigo não caia do céu, mas poderia estar em nossas mentes e o grande inimigo era um governo que não titubeava diante da possibilidade de sacrificar os seus em nome de uma segurança que nunca poderia ser alcançada.

Um comentário sobre “Análise do sucesso de Stranger Things

  1. Pingback: Os som de Stranger Things – RockCine Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s